Notícia

Dia Internacional da Mulher

03/03/2022 - 07h00

Discriminação no mundo corporativo afeta 74% das mulheres, aponta estudo

Pesquisa encomendada pela Pearson ouviu 6 mil mulheres em seis países, incluindo o Brasil

 

 

 

Com a proximidade de 8 de março, novas reflexões a respeito do Dia Internacional da Mulher voltam à tona. Mais de um século passado desde a criação da data, a equidade de gênero nas empresas ainda está longe de ser justa, de acordo com a Learner Survey, realizada pela Pearson, empresa de educação, em parceria com a Morning Consult, que ouviu seis mil mulheres em seis países (Estados Unidos, Reino Unido, Brasil, México, Índia e China). O objetivo da pesquisa é entender a percepção das mulheres em relação às suas carreiras e como a pandemia afetou ainda mais suas vidas profissionais e pessoais.

 

A pesquisa mostra que as mulheres ainda enfrentam barreiras na carreira, segurança e independência: 74% das entrevistadas acreditam que todos os tipos de preconceito e discriminação ainda são pontos difíceis na hora de buscar novas oportunidades de trabalho, sendo que 65% afirmaram que a discriminação de idade é a principal questão a ser combatida.

 

Outro dado preocupante que pelo menos 75% das entrevistadas nos Estados Unidos, Reino Unido, Brasil e Índia temem que as incertezas financeiras criadas pela pandemia tenham colocado muitas mulheres em situação de violência doméstica.

 

REAVALIAÇÃO DA CARREIRA

Por outro lado, 84% das entrevistadas no Brasil também afirmaram que estão usando a pandemia como uma oportunidade para reavaliar suas vidas, principalmente as carreiras. Esse número passa para 86% entre as brasileiras da geração Z (nascidas entre o final da década de 1990 e início do século 21), 84% para as millenials (nascidas entre o início da década de 1980 e metade dos anos 1990), 79% para as geração X (nascidas entre meados da década de 1960 e início da década de 1980) e 89% para as baby boomers (nascidas entre o final da década de 1940 e metade da década de 19660).

 

Quando questionadas sobre o que pretendem fazer, mulheres de diversas gerações e países responderam que planejam tomar as medidas necessárias para iniciar seus negócios próprios no próximo ano. No Brasil elas também apresentaram essa percepção, com 30% entre as mulheres da geração Z, 33% para as millenials, 37% na geração X e 41% para as baby boomers.

 

"Mesmo com todas as disparidades já conhecidas no mercado de trabalho, potencializadas com a chegada da pandemia, as mulheres continuam lutando por melhores condições, tanto na busca por maior qualificação ou novas formas de empreender. A pesquisa joga luz em todas essas questões e mostra que existe um caminho de mudança a ser seguido", acredita Heloisa Avilez Guerato, diretora comercial da Pearson.

 

A pesquisa também detectou que:

 

Existe um impacto percebido desde o início da covid-19 no México e no Brasil, de acordo com mulheres de todas as gerações. No México, a confiança na carreira entre as mulheres baby boomers está diminuindo (42%), além disso elas sentem também mudança nos salários (46%). Esse cenário vem sendo compartilhado também por China e Índia, preocupadas com as consequências da pandemia, onde elas acreditam que o retrocesso econômico para as mulheres levará pelo menos dez anos para ser recuperado. 

 

► No Brasil (87%), na China (70%) e no México (79%), a maioria das mulheres acredita ter menos oportunidades do que os homens no ambiente corporativo. As da geração X e as baby boomer que procuram trabalho no Brasil, China, Índia e México estão preocupadas com a idade e o gênero serem barreiras. Especialmente na Índia, elas ainda temem que sua raça e/ou etnia possa ser mais um empecilho. 

 

► Habilidades de empreendedorismo estão entre as mais desejadas em mulheres da geração X (31%) e baby boomer (29%) do Brasil. A pandemia aumentou o interesse global das mulheres em aprender novas habilidades, com 88% das que procuram trabalho buscando incrementar suas habilidades profissionais para se tornarem melhores candidatas a empregos. 

 

 

Foto de abertura: Freepik/Yanalya