Notícia

Conhecimento

11/08/2020 - 12h29

Grupo Trigo cria plataforma de reconhecimento e aprendizado para os colaboradores

Iniciativa contempla o fortalecimento da empatia e o alinhamento das expectativas individuais e coletivas

 

Frases como “o que nos trouxe até aqui foi importante, mas não nos levará adiante” e “o mundo está mudando de velocidade” ajudam a compreender o momento atual das empresas e como lidar com os desafios dentro do ambiente de trabalho. E, seja em um mundo VUCA, seja em um mundo pós-pandêmico, inovação e pessoas andam lado a lado.

 

Não é nenhuma novidade que a internet é a maior afronta ao modelo organizacional que já existiu. Não pela tecnologia em si, mas pelos valores. Com o fluxo de informação pela primeira vez distribuído, a Revolução Digital escancara a diferença entre o que motiva as pessoas e o que as empresas acreditam que motiva as pessoas. Se os baby boomers prezavam pelo crescimento e meritocracia, os millennials, pela criatividade e possibilidade de serem quem quiser e a geração Z traz a verdade como sua bandeira principal atrelada aos pés no chão. Essas três gerações, mais presentes no ambiente de trabalho atualmente, tornam a evolução da gestão algo admirável.

 

Pensando nisso, o Grupo Trigo, detentor das marcas Spoleto, Koni, LeBonton e Gurumê, entre outras, lançou a Plataforma de Reconhecimento e Aprendizado para Todos, ou Prato, sigla que faz link direto com o negócio da empresa.

 

“O primeiro passo foi entender como os valores da companhia estariam presentes nesse ambiente digital. O Trigo preza por democratizar a boa culinária. Vamos fazer o mesmo com o conhecimento colaborativo que existe na empresa. Além disso, vamos reconhecer os talentos que, às vezes, não sabemos que existem. Porque, no Prato, não queremos só os talentos já exercidos no dia a dia de trabalho, mas, sabe aquele engenheiro de software que sabe tocar violão, ou aquela designer que entende tudo de gastronomia? O Prato serve para tudo isso”, explica Fellipe Bazilio, um dos líderes da área de Gestão do Conhecimento.

 

Segundo Leonardo Aragão, outra liderança da área, a plataforma objetiva não só desenvolver tecnicamente os colaboradores a distância – que acredita ser a entrega ainda mais importante desde o início da pandemia –, mas criar trilhas de desenvolvimento personalizáveis, que respeitem o sonho individual e cada forma de aprendizado, atreladas ao sonho coletivo. “É a receita para fortalecer, ainda mais, a empatia e o alinhamento das expectativas, individuais e coletivas”, afirma.

 

Bazilio completa que a Prato, fortalece o relacionamento entre as equipes e a troca de conhecimento, assim como tem o papel de uma simples biblioteca de conteúdos e documentos.

 

Em menos de 30 dias de lançamento, foram lançados mais de 150 conteúdos. E vem mais por aí. O tripé Integração, Função e Desenvolvimento segue existindo, mas ganha uma versão 2.0, a CCC: Cultura, Cadência e Conteúdo.

 

“A base em dados e o foco nas pessoas é vital para o funcionamento e a relevância da Prato. Para essa receita dar liga é importante saber o que é relevante para nossos funcionários e como desejam receber esse conteúdo. Por isso uma estratégia omnichannel foi pensada desde o início. O engajamento é uma das principais métricas, junto com o NPS” completa Isabel Medeiros, diretora de Gente e Cultura.

 

Bazilio finaliza: “A receita é misturar os ingredientes de maneira transversal e fidedigna à cultura já existente. Com isso, a liderança se fortalece, são jogadas luzes sobre os talentos, a troca conhecimento é abundante e colabora para o crescimento”.

 

Imagem de abertura: Geralt/Pixabay