Notícia

Conhecimento

28/07/2020 - 21h24

Suzie Clavery lança o primeiro livro brasileiro sobre employer branding

Nesta entrevista, a autora fala da iniciativa e explica por que só agora o país ganhou um livro sobre o tema

 

 

 

No próximo dia 30, o Brasil ganha seu primeiro livro sobre employer branding. De autoria de Suzie Clavery, Isso é Employer Branding?! – Um livro para (des)construir tudo aquilo que você (acha que) sabe (ou não) sobre o tema (Editora Leader) será lançado, às 20 horas, na página do Employer Branding Brasil no LinkedIn.

 

Destinados a profissionais de RH, Marketing, Branding, Comunicação, Administração e outras áreas que querem entender e aplicar a gestão de marca empregadora em suas atividades, e para empresas que planejam implementar essa estratégia na prática, alinhada com os objetivos e realidades de negócios.

 

Em 202 páginas, Suzie, que atualmente ocupa o cargo de gerente de Employer Branding do UnitedHealth Group Brasil e é referência no tema marca empregadora no país, transmite de forma simples sua experiência prática com EB. Saiba mais na entrevista a seguir.

 

GRH – O seu livro é o primeiro no país sobre employer branding. Toda a literatura sobre o assunto “importada”. A que você atribui isso?

SC – A terminologia employer branding ainda é nova. Foi só na década de 1990 que surgiram os primeiros pensamentos a respeito o conceito. Em 1996, foi publicado, por Simon Barrow e Tim Ambler, no artigo The employer brand, do Journal of Brand Management, como uma primeira tentativa de testar a aplicação de técnicas de branding e marketing ao recrutamento e à gestão de recursos humanos. Apesar de termos mais de 20 anos do conceito “criado”, é pouco tempo quando consideramos a complexidade da gestão de pessoas. Além disso, o conceito veio se modificando e sendo testado ao longo do tempo, isso significa que profissionais e empresas ainda estão aprendendo a lidar com ele e seus resultados. Também há falta de profissionais capacitados com experiência para contar suas histórias sobre o tema e, mesmo as empresas mais avançadas no assunto, com adoção da estratégia há mais tempo, estão começando a colher seus resultados agora, portanto, falta material adequado e significativo para real publicação.

 

O tema também está mais disseminado, adotado e evoluído nos Estados Unidos e na Europa, por isso, a concentração da pouca literatura sobre o tema, está em inglês e idiomas europeus. Sabemos que isso dificulta o acesso ao tema para o brasileiro, já que a grande maioria da população não domina outros idiomas além do português e o custo dos livros importados é altíssimo, tornando extremamente restrito o conhecimento sobre assunto.

 

Em comparação com a literatura internacional, qual a diferença do seu livro?

São quatro importantes diferenças. A primeira e mais óbvia é o idioma. Por ser escrito em português, é acessível para população local e facilita o entendimento do tema por profissionais e empresas.

 

A segunda diferença, é que o livro é contado do ponto de vista de alguém que trabalha com o tema na prática diariamente há mais de dez anos, sentindo as dificuldades, as alegrias e dividindo aprendizados do início ao fim da estratégia e apresentando resultados ao negócio. Não é um livro histórico, nem teórico e nem metodológico. Também não é um case de uma única empresa, nem um copilado de vários. Não é uma visão de agência, que participa de partes do processo muito pontuais da estratégia de employer branding. É uma visão abrangente, sólida e prática.

 

A terceira diferença é que o livro conecta o conceito de EB com outros conceitos importantes como os de experiência - do candidato e do colaborador. Mesmo nas literaturas internacionais esses temas são tratados de maneira separada. Através do livro, o leitor terá uma visão muito mais abrangente e conectada dos assuntos.

 

Por fim, a quarta diferença é que o livro traz não apenas um aspecto de passado e presente em relação à marca empregadora, mas também traz convidados especiais discutindo sobre o futuro do employer branding e a conexão dele com os resultados de negócios das empresas. Alguns dos nomes são: Caio Infante, da TMP; Danielle Arraes, da Puratos; Felipe Calbucci, da Indeed; Frederico Lacerda, da Pin People; Guilherme Franco de Souza, do Linkedin; Jisley Bontempo, da BeeTech.global; Luiz Felipe Massad, do Magazine Luiza; Marcel Lotufo, da Kenoby; Ranny Alonso, do UnitedHealth Group; Sergio Sabino, da Frente Corretora; e Whiny Fernandes, da Creditas.

 

Quais são os principais aspectos abordados no seu livro?

Em Isso é Employer Branding?!, além do relato da minha história com o tema, com o objetivo de inspirar outros profissionais a trabalharem com a gestão de marca empregadora, também procurei transmitir a minha experiência prática sobre o assunto, alinhando conceitos como employer branding, cultura, EVP (employer value proposition ou propostas de valor do empregador), candidate experience ou experiência do candidato e employee experience ou experiência do colaborador, mostrando como todos eles se conectam e influenciam na reputação da marca empregadora, além de dar dicas valiosas para o leitor implementar, com sucesso, uma estratégia de EB na sua empresa.