Gestão de Pessoas

31/05/2018 - 00h00

Os 5 maiores desafios do RH

Os 5 maiores desafios do RH

Os 5 maiores desafios do RH

Dentre os pontos discutidos durante o RH Week, evento promovido pelo Experience Club, estão liderança e inclusão

Entre os dias 21 e 22 de maio aconteceu o RH Week, evento promovido pelo Experience Club, clube de relacionamento corporativo, que reuniu profissionais da área de Recursos Humanos de diferentes empresas. Em um dos painéis, mediado por Sofia Esteves, da Cia. de Talentos, o tema discutido foram os maiores desafios atuais do RH.

Para elencar os itens, Sofia contou com a ajuda dos seguintes nomes: Ana Carolina Borghi, da Netflix, Marco Custódio, da Nestlé, e Juliano Marcílio, da Bradesco Seguradora. Veja abaixo os pontos destacados:

 

Performance dos negócios

Muito além de ser responsável pelos funcionários da empresa, o profissional do RH tem o desafio de conectar todas as suas ações à performance dos negócios. Qualquer tipo de mudança deve ter também uma justificativa alinhada à melhoria dos resultados. De acordo com Custódio, companhias de grande porte são naturalmente mais engessadas e, diante do momento atual, de intensa transformação, é mais difícil promover uma reorganização e são muitas maneiras possíveis na hora e agir.

 

Preparação da força de trabalho para o futuro

O RH tem a função de olhar para além do momento atual, visando sempre o crescimento futuro da empresa. Ana Carolina, por exemplo, cita que a Netflix na América Latina está em busca do desenvolvimento dos profissionais de cinema no Brasil e nos países ao seu entorno, já que o objetivo é criar cada vez mais conteúdos locais de qualidade.

No caso da Bradesco, Marcílio aponta outra necessidade: a de atuários, um tipo de especialista em matemática estatística, que faz falta na empresa. Em uma breve investigação, descobriram que são poucos os estudantes dessa área e que talvez seja interessante incentivar que mais jovens busquem essa carreira.

 

Liderança

Atualmente, com as novas gerações e com a tecnologia, as empresas se veem em um momento de maior transparência entre seus colaboradores – seja isso intencional ou não. E muitos líderes se veem inseguros diante desse cenário de maior pressão. De acordo com Custódio, é função do RH gerar uma experiência de aprendizado também para os líderes.

Marcilio, entretanto, aponta que, com a hierarquia atual mais fluida, a maior dificuldade é ter uma boa liderança votada ao desenvolvimento das pessoas da empresa. Isso pode ser alcançado com uma boa cultura de feedback e com o incentivo ao crescimento do funcionário. "É preciso saber ter conversas difíceis, sem que se jogue as coisas para debaixo do tapete", completa Custódio.

 

Diversidade e inclusão

Segundo Ana Carolina, este é um dos pontos mais discutidos dentro da Netflix, não só em aspectos como raça e deficiência, mas como pensamento. "Cada um tem o seu estilo, o seu jeito de pensar. Só com esses pensamentos diferentes que as empresas conseguem crescer de verdade". Além disso, ela resume a diferença entre diversidade e inclusão com a seguinte frase: "A diversidade é você ser convidado para a festa, a inclusão é quando você faz parte da dança."

Custódio, por sua vez, reforça que é preciso trazer a sociedade para dentro da empresa, pois a segregação faz com que a gente perca a noção da realidade, o que também é nocivo para os negócios.

 

Cultura e organização

Assim como já pontuado anteriormente, o profissional de RH deve saber interpretar o que pode acontecer com os negócios para no futuro. Para fazer com que a empresa alcance os objetivos desejados, a sua cultura e organização devem ser idealizadas de forma a refletir essas expectativas.

 

Deixe seu comentário: