Artigos

19/06/2018 - 10h00

Paixão pelo esporte como DNA

Paixão pelo esporte como DNA
Por Alfonso Gutiérrez*
 
Na Decathlon, cada um de nossos 1.800 colaboradores é apaixonado por esporte. Acreditamos que o esporte pode e deve ser para todos, e é isso que nos motiva coletivamente. Nosso modelo de gestão é reflexo desse espírito esportivo que todos os praticantes compartilham, baseado na autonomia e responsabilidade.
 
A Decathlon chegou ao Brasil em 2001 e hoje possui 25 lojas no país e mais de 7 mil artigos esportivos de 65 modalidades diferentes. Falar que amamos esporte soa como pleonasmo – afinal, este é o universo em que estamos inseridos e nos destacamos. Pensar e fazer esporte faz parte do nosso DNA! 
 
Nosso modelo de gestão aposta em atrair profissionais apaixonados por esportes e que queiram se desenvolver dentro de uma multinacional que funciona de forma diferente das grandes gestões tradicionais. Durante o processo de recrutamento, cada líder busca identificar candidatos que estejam alinhados com o nosso perfil:  esportista apaixonado, vital, responsável e com forte espírito de equipe. 
A própria dinâmica de seleção se difere das demais, pois nossos processos seletivos envolvem prática de atividades esportivas para identificar perfil e habilidades específicas no candidato.
 
Nossa seleção busca encontrar profissionais esportistas justamente para que nossas lojas ofereçam um atendimento especializado, para atender os usuários de maneira personalizada e próxima, conhecendo e praticando cada uma das 65 modalidades em que atuamos. O processo de recrutamento coletivo foi implantado em 2014 e desde então tivemos uma redução de 30% do turnover de colaboradores, resultado da maior assertividade nas contratações.
 
A prática esportiva não termina no processo seletivo. Este recurso é fundamental para a integração e o engajamento dos colaboradores e, por isso, incluímos o esporte no dia-a-dia de trabalho entre as equipes, tornando a prática esportiva uma excelente ferramenta de “despressurização” quando os profissionais têm alguma tomada de decisão importante para o negócio ou como um alicerce para o entrosamento entre os colegas em reuniões de equipe, treinamentos, entre outros momentos do dia-a-dia da empresa. E quando falamos de praticar esportes juntos, incluimos desde os coletivos tradicionais como vôlei e basquetebol, até práticas como montanhismo, stand-up, tênis de mesa, escalada, badminton, pilates, entre outros.
 
Nosso modelo de gestão está baseado em dar responsabilidade aos colaboradores desde o início do percurso profissional. Por isso, a autonomia é muito presente no dia a dia de todos. O senso de serviço - fazer o que precisa ser feito -, está muito conectado com o espírito do esporte que esses profissionais praticam e são responsáveis dentro da loja. O protagonismo dos colaboradores faz a diferença e proporciona um atendimento de excelência para os praticantes que visitam nossas lojas. 
 
Cada colaborador tem um plano de desenvolvimento individual que é construído por ele mesmo com o auxílio do seu líder. Investimos, também, em uma escola de formação interna que oferece treinamentos operacionais, técnicos, gerenciais e de desenvolvimento humano pessoal, além de uma plataforma online de educação à distância. Hoje, nosso processo formação é bastante completo, pois inclui teoria, prática e workshops. Apenas no ano de 2017, tivemos 56.371 horas de treinamento e 7.147 presenças divididos entre todos os colaboradores.
 
Na Decathlon trabalhamos com o que mais gostamos, unindo e compartilhando sempre a nossa paixão pelo esporte para todos nossos colaboradores e usuários.
 
*Alfonso Gutiérrez é diretor de RH da Decathlon Brasil

Deixe seu comentário: