Artigos

22/09/2017 - 10h00

Estou desempregado, e agora?

Estou desempregado, e agora?

Por Allessandra Canuto*

 

Os últimos números divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicam que a economia brasileira ainda vive um cenário crítico e mostra que o país abriga um total de 13,5 milhões de desempregados. Diante desse quadro, quero chamar a sua atenção para a oportunidade de crescimento de uma pessoa temporariamente sem emprego. Você deve estar se perguntando “mas é possível”? Vou te mostrar que sim!

 

No início, o desespero promove uma espécie de bloqueio da nossa capacidade de mudança. O exercício é sair da condição de vítima e assumir a posição de líder da própria história. O que você vai escolher: esperar o mercado se recuperar ou se mostrar um profissional estratégico para as empresas?

 

No entanto, não existe solução pronta. Compartilho um recurso rico e que poderá ser utilizado em muitas situações: seus sentimentos! Se souber utilizá-los, certamente irá se surpreender. Eles nos auxiliam a ampliar a percepção, enxergar novas possibilidades, além de fortalecer competências para enfrentar desafios pessoais e profissionais.

 

Para isso, faço o convite para cultivar a Esperança. Quero que conheça a concepção defendida pela pesquisadora C. R. Snyder, da Universidade de Kansas, nos Estados Unidos. Para Snyder, a esperança é uma forma de pensar ou um processo cognitivo muito útil para nos colocar em ação e se manifesta quando:

 

- Possuímos a habilidade de estabelecer objetivos realistas (onde queremos chegar);

 

- Somos capazes de planejar como atingi-los, o que inclui a capacidade de sermos flexíveis e desenvolvermos rotas alternativas (sabemos como alcançar, podemos nos decepcionar e tentar novamente);

 

- Acreditamos em nós mesmos (podemos fazer isso!).

 

Como se pode perceber, a esperança é uma combinação da capacidade de se estabelecer objetivos com a tenacidade e a perseverança de trabalhar as nossas habilidades para alcançá-los. Snyder sugere que podemos aprender a pensar de modo esperançoso sobre os nossos objetivos. Então, se você está passando por um momento difícil profissionalmente, amplie sua percepção para explorar as oportunidades disponíveis, aguce os seus sentidos e sentimentos, substitua o desespero pelo cultivo diário da esperança e vá em frente!

 

*Alessandra Canuto é especialista em gestão estratégica de conflitos e negociação, facilitação e treinamento para potencializar negócios através do desenvolvimento de pessoas. É sócia e palestrante da AlleaoLado, empresa focada em palestras, treinamentos e consultoria.

Deixe seu comentário: